Sessão solene homenageia CONSEGs e Programa Vizinhança Solidária

Na segunda-feira (19/3), a Assembleia Legislativa (ALESP) realizou uma sessão solene em homenagem aos Conselhos Comunitários de Segurança (CONSEGS) e ao Programa Vizinhança Solidária. A celebração foi uma iniciativa do Deputado Estadual Coronel Camilo e contou com a presença de diversos representantes dos conselhos de segurança da capital e do interior de todo o estado, além de autoridades militares e parlamentares.

Em seu discurso, Coronel Camilo lembrou da criação dos conselhos comunitários e de sua atual importância não somente no quesito segurança, mas em todo um conjunto de ações relacionados à qualidade de moradia em cada bairro de São Paulo.

“O trabalho em conjunto com a população e a responsabilidade do poder público expandiu o CONSEG para serviços de zeladoria, desordem e demais questões municipais”, explicou o Deputado. Segundo Camilo, ninguém melhor do que a própria comunidade para conhecer os problemas que a afligem.
A importância da participação popular

Quando foi criado há mais de 30 anos pelo então governador Franco Montoro, os CONSEGS resolviam somente problemas relacionados à segurança. Com o passar dos anos e com a sólida participação popular, outros assuntos foram sendo levados às reuniões, como problemas relacionados a saneamento, iluminação, barulho, lixo, trânsito, entre outros.

Atualmente participam das reuniões, integrantes da Guarda Civil Metropolitana (GCM), Companhia Engenheira de Tráfego (CET), SABESP, Prefeitura Regional, Comandante da Polícia Militar da área e o Delegado de Polícia Titular do correspondente Distrito Policial, e a comunidade local.

Para Camilo, a união entre a sociedade civil e os representantes do poder público é o caminho certo para aprimorar a segurança pública e melhorar a qualidade de vida nos bairros.

Na segunda-feira (19/3), a Assembleia Legislativa (ALESP) realizou uma sessão solene em homenagem aos Conselhos Comunitários de Segurança (CONSEGS) e ao Programa Vizinhança Solidária. A celebração foi uma iniciativa do Deputado Estadual Coronel Camilo e contou com a presença de diversos representantes dos conselhos de segurança da capital e do interior de todo o estado, além de autoridades militares e parlamentares.

Em seu discurso, Coronel Camilo lembrou da criação dos conselhos comunitários e de sua atual importância não somente no quesito segurança, mas em todo um conjunto de ações relacionados à qualidade de moradia em cada bairro de São Paulo.

“O trabalho em conjunto com a população e a responsabilidade do poder público expandiu o CONSEG para serviços de zeladoria, desordem e demais questões municipais”, explicou o Deputado. Segundo Camilo, ninguém melhor do que a própria comunidade para conhecer os problemas que a afligem.

A importância da participação popular

Quando foi criado há mais de 30 anos pelo então governador Franco Montoro, os CONSEGS resolviam somente problemas relacionados à segurança. Com o passar dos anos e com a sólida participação popular, outros assuntos foram sendo levados às reuniões, como problemas relacionados a saneamento, iluminação, barulho, lixo, trânsito, entre outros.

Atualmente participam das reuniões, integrantes da Guarda Civil Metropolitana (GCM), Companhia Engenheira de Tráfego (CET), SABESP, Prefeitura Regional, Comandante da Polícia Militar da área e o Delegado de Polícia Titular do correspondente Distrito Policial, e a comunidade local.

Para Camilo, a união entre a sociedade civil e os representantes do poder público é o caminho certo para aprimorar a segurança pública e melhorar a qualidade de vida nos bairros.

Vizinhos unidos em prol da segurança

A solenidade homenageou também o Programa Vizinhança Solidária, fruto da comunicação constante entre vizinhos e a Polícia Militar. Criado em 2009, tem obtido vitórias no campo da segurança pública cuja aposta é totalmente focada em cidadania.

O objetivo é fazer com que cada vizinho se sinta responsável pela segurança de sua rua.

Coronel Camilo frisa a importância em se conhecer o vizinho; saber se o caminhão que parou na frente da casa está fazendo uma mudança ou está levando pertences do morador.

Atualmente, dezenas de bairros de São Paulo e interior já aderiram ao programa, que não envolve gastos.

Como funciona

Um grupo de vizinhos se reúne, passando a conhecer melhor suas rotinas de horários, pessoas que moram e que frequentam a casa. Ao primeiro sinal de perigo, trocam informações entre si via aplicativo de celular e a PM é avisada.

As casas e prédios fixam uma placa na fachada para avisar que estão inseridos no programa e, com isso, alertam possíveis criminosos de que praticar delito naquele bairro será difícil.

Segundo dados da PM, onde houve a implantação os delitos chegaram a cair quase pela metade.

A pessoa que deseja participar deve procurar a Companhia da PM mais perto do bairro e obter informações sobre os primeiros passos para o programa. Uma cartilha está disponibilizada no site: www.policiamilitar.sp.gov.br.

Fotos: Jornal SP Norte/Sandra Kanashima

Comente esta matéria

Comente esta matéria