Anvisa suspende lote de paracetamol e de outros 3 remédios de laboratório

Consumidor encontrou parafuso no lugar de comprimido de paracetamol.
Medicamentos são do Laboratório Teuto Brasileiro S.A.

Quatro medicamentos produzidos pelo Laboratório Teuto Brasileiro S.A. tiveram lotes suspensos por determinação da Anvisa, entre eles o Paracetamol 500 mg, indicado para febre e alívio de dores. As decisões foram publicadas no Diário Oficial da União nesta quarta-feira (20).
O lote 1998101 do Paracetamol 500 mg, com validade em 11/2015, foi suspenso depois que um consumidor contatou o Procon para denunciar  que havia um parafuso no lugar de um dos comprimidos, em uma das cartelas do medicamento.
Após notificação do Procon, o laboratório já iniciou o recolhimento voluntário do lote, que foi distribuído em Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Bahia.
O medicamento Cetoconazol 200 mg, indicado para tratamentos de infecções por fungos ou leveduras, teve suspenso o lote 1048105, com validade em 6/2015.  O motivo da suspensão foi uma queixa de um consumidor feita ao SAC do laboratório. Ele afirmou que encontrou um outro medicamento, o Atenolol 100 mg, na cartela do Cetoconazol. O lote foi distribuído em Goiás, Amazonas, Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro e São Paulo.
O medicamento Nistatina 25.000 UI/g 60g, um creme vaginal indicado para tratamento de candidíase, teve o lote 8910019, com validade em 2/2016, suspenso. A suspensão também foi motivada pela queixa de um consumidor, que afirmou ter encontrado outro produto na embalagem, o neomicina+bacitracina. O lote foi distribuído no Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais e São Paulo.
O medicamento atorvastatina cálcica, indicado para tratamento de colesterol elevado, teve o lote 6909006, com validade em 10/2015, suspenso. Também neste caso, a suspensão foi motivada pela queixa de um consumidor no SAC do laboratório. O consumidor encontrou um produto de concentração 10 mg dentro da embalagem do produto de concentração 20 mg.
O Laboratório Teuto afirmou, em nota, que o recolhimento dos produtos foram iniciados voluntariamente pela companhia e que está em andamento. O laboratório informou ainda que “todas as medidas cabíveis perante as agências reguladoras já foram tomadas”.
Medicamento para leucemia
A Anvisa também divulgou nesta quarta-feira a suspensão de 13 lotes medicamento Tabine, do laboratório Meizler UCB Biopharma. O medicamento é indicado para tratamento de leucemias agudas não linfocíticas.
O suspensão ocorreu porque análises laboratoriais encontraram resultados fora da especificação quanto ao teor do princípio ativo do medicamento. De acordo com o laboratório, foi a própria empresa que entrou em contato com a Anvisa para informar sobre o recolhimento dos lotes. Os números dos lotes suspensos podem ser verificados no site da Anvisa.
Do G1, em São Paulo

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário