ASPRA pede apoio para policiais da reserva em presídios

O presidente da Associação dos Praças da Policia Militar de Rondônia (ASPRA-RO), Silvio Luiz Ramalho, Cabo Ramalho, acompanhado do secretário geral da entidade, Aldemar Lima do Nascimento, Sargento da Reserva Remunerada (RR) Aldemar, e demais representantes da classe, estiveram reunidos nesta terça-feira (21) com o comandante da Policia Militar (PM), Coronel César Figueredo, para discutir a situação funcional dos policiais militares da reserva remunerada, que segundo CB Ramalho, estão sempre prontos a ajudarem o governo em situações de conflitos, mas que precisam de um vinculo trabalhista mais estável em virtude da família.
O comentário surgiu devido os movimentos grevistas que eclodem no Estado, em especial dos agentes penitenciários, quando o governo precisa de profissionais qualificados para substituir a função e o mesmo busca na policia militar. Para suprir a demanda o governo contratou em regime de urgência, por dois meses, os policiais da reserva remunerada. Para os representantes da classe, dada a qualificação, os policiais são de grande utilidade no corpo administrativo do governo, por isso solicitaram uma política do comando que traga benefícios para os mesmos.
O comandante geral disse que ao manter a ordem e o estado de direito constituído em todas as esferas sociais, a Polícia Militar do Estado de Rondônia, por seus policiais masculinos e femininos tem se dedicado ao trabalho fim, com empenho e demonstração de zelo pelo fiel cumprimento do que a profissão exige. “O entendimento da família neste momento é muito importante para a vida do profissional. reconhecemos que há o distanciamento momentâneo no final de semana e folga”- disse o comandante geral.
Cesar Figueredo disse aos representantes das associações representativas dos policiais militares, ASSESFAM, ASOF, ASSPOMIL, ASPOMETRON E ASPRA, que existe muitas inverdades com relação ao trabalho dos policiais junto aos presídios da capital. “Nossos valorosos policiais se dedicam ao máximo para mostrar a sociedade o respeito aqueles que ali cumprem medidas judiciais” – valorizou. Para dirimir as dúvidas que por ventura ainda existem, o comandante determinou ao subcomandante geral coronel PM Thomazzoni a ida aos presídios juntamente com os presidentes de associações para prestar apoio aos militares recém contratados.
Fonte: ASPRA
Autor: ASPRA

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário