Áudio de PM revela ataque ao quartel em assalto a empresa de valores: ‘Estão atirando de fuzil’

Delegado afirmou que nunca viu crime na mesma proporção em 30 anos de profissão. Crime ocorreu em Araçatuba (SP), matando um policial civil de folga.

Um policial militar enviou um áudio à equipe para informar sobre a explosão no prédio da empresa de valores e a ação em frente ao quartel da PM, em Araçatuba (SP), para bloquear a atuação da PM. O registro revela que o grupo criminoso estava fortemente armado (ouça áudio abaixo).
“O CPI está cercado com dois caminhões pegando fogo, um de cada lado. Tem bandidos do lado de fora nos segurando aqui dentro. Eles estão atirando de fuzil”, afirma o PM no áudio.
A ação da quadrilha explodiu o prédio da empresa de valores e também ateou fogo em veículos para bloquear a saída de viaturas do quartel da Polícia Militar que fica perto do local do roubo, durante a madrugada desta segunda-feira (16), em Araçatuba.
Criminosos atiraram contra a entrada para impedir a saída dos policiaisque estavam no quartel e houve troca de tiros. Um policial civil de folga foi baleado e morreu durante o assalto. Após o crime, mais de 30 criminosos fugiram em diversos veículos.
Uma câmera de segurança flagrou dois envolvidos em fuga (veja abaixo). As imagens mostram eles pulando a grade do Parque Fazenda do Estado, que fica próxima ao quartel.
O delegado Marcelo Cury acompanha o caso e informou que não dará detalhes para não comprometer a investigação. Segundo Cury, o crime foi de grande proporção e assustou muita gente. “Nessa proporção e com toda essa organização, eu estou com quase 30 anos como delegado e nunca vi nada deste tipo na nossa região.”
Por enquanto não há informação de presos. Até o início da noite desta segunda-feira, a polícia havia localizado nove carros de luxo e blindados que foram utilizados pelos criminosos durante o assalto.

O ataque

A ação da quadrilha explodiu o prédio de uma empresa de valores na madrugada desta segunda-feira, em Araçatuba. Um grupo foi até a empresa e usou dinamite para explodir o local.
Os criminosos ficaram cerca de 40 minutos no local. Um dos dois cofres da empresa explodiu. A quantia roubada não foi informada.
Após a explosão na empresa, policiais militares fecharam as ruas Dona Idá, Marcondes Salgado e Antonio de Freitas Menezes por apresentar risco, já que artefatos explosivos ficaram no local.
Foram apreendidas 66 emulsões de explosivos que estavam no local. Parte delas foi entregue ao Gate para perícia especializada.
Em nota, a Protege confirmou o assalto e disse que “todos os vigilantes encontram-se em segurança e a empresa está colaborando com as autoridades na investigação em curso”.
A empresa disse, ainda, que cumpre a legislação em vigor do setor, atividade regulamentada pela Polícia Federal e demais órgãos competentes, e “investe constantemente em novas tecnologias para aprimorar suas operações”.

Policial morto

O policial civil André Luís Ferro da Silva, de 37 anos, estava de folga e foi até o local ao ser chamado pelos pais, que moram perto da empresa, onde acabou baleado.
Silva ainda foi socorrido com vida, mas morreu enquanto era atendido na Santa Casa. O enterro foi nesta terça-feira (17). Silva era integrante do Grupo de Operações Especiais (GOE), e deixou duas filhas e a esposa.
Segundo a Santa Casa de Araçatuba, outras duas pessoas ficaram feridas durante a ação dos criminosos.
De acordo com o hospital, uma mulher foi atingida por uma bala perdida no pé enquanto outra mulher foi atingida por estilhaços na barriga. Elas foram socorridas, levadas para o pronto-socorro de Araçatuba e passam bem.

Susto

A moradora Alice Rosário Prado afirma que só depois que amanheceu e foi para a rua ver o que aconteceu, é que percebeu a dimensão do estrago.
“Só quem mora aqui mesmo para saber o que passamos essa noite, parecia que estava acabando o mundo. Acordei com o barulho da explosão. Sentimos o piso tremer, vidros de casa estão quebrados”, afirma.
Quem também se assustou foi a moradora Edna de Oliveira, vizinha do local. Edna mora em casa com a filha e a neta e disse que todos estavam dormindo quando o barulho começou.
“Começou um barulho terrível, foram vários estrondos, achei que o mundo estava acabando. Os amigos começaram a ligar pra gente dizendo para tomar cuidado porque estavam assaltando a Protege. E todos começaram a avisar. Foi um estrondo que nunca ouvi na vida”, afirma.
Moradores do bairro relataram ao menos quatro explosões e parte do imóvel foi destruída.
Segundo a Defesa Civil, a casa ao lado da empresa foi interditada. Os moradores vão ficar em casa de parentes. Outras quatro casas tiveram danos parciais. Os moradores dessas casas puderam voltar. A prefeitura disse que vai prestar apoio psicológico às vítimas.

Rodovia bloqueada

A Polícia Rodoviária Federal confirmou que os ladrões usaram um caminhão canavieiro para bloquear a pista da rodovia Marechal Rondon, no sentido Birigui a Araçatuba (SP).
Segundo a polícia, os assaltantes renderam o motorista e deixaram o veículo atravessado na pista, de forma a impedir a chegada da polícia.
A quadrilha foi embora e o caminhoneiro ficou escondido no mato. Os veículos que vinham em direção a Araçatuba perceberam o caminhão atravessado e foram estacionando no acostamento.
A Polícia Rodoviária Federal disse que um dos motoristas decidiu entrar na boleia do caminhão e ele próprio retirou o caminhão da pista, permitindo a passagem. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, a interdição durou cerca de dez minutos.
Fonte: G1

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário