BEF e ABMAL: rumo ao Tolerância Zero

Olá, saudações militares. Sou o Cb BM “X” e ao ler as postagens que tratam da inércia das associações e da iniciativa de implantar o procedimento intitulado “Tolerância Zero” tanto na PMAL como CBMAL por este blog, gostaria de elencar alguns considerandos e possíveis esclarecimentos:
– Considerando que as associações militares nunca desempenharam seus papeis de representatividade efetivamente;
– Considerando que os atuais representantes não tem o preparo suficiente para desempenhar esta função representativa;
– Considerando que ao avaliar este quadro negativo das associações e a sede de reverter esta situação um grupo de bombeiros fazia parte de uma destas, mas que os vícios lá impregnados eram intransponíveis;
– Considerando que os atuais representantes utilizam a mesma estratégia que os políticos profissionais utilizam para se manterem no poder (constituindo seus currais eleitorais à base do assistencialismo) impedindo uma renovação nas entidades;
– Considerando a cultura da morosidade das associações existentes extremamente difícil de quebrar;
– Considerando que historicamente os bombeiros militares sempre foram estereotipados como ausentes nas manifestações da categoria…
Diante desse cenário muito prejudicial para a representatividade da tropa, alguns bombeiros militares, cansados desse quadro negativo, inseridos no processo das associações, mas utilizados apenas como massa de manobra, resolveram proclamar independência e ter voz ativa nas futuras reivindicações salariais e condições de serviço. Para isso foi criada a ferramenta capaz de efetivar essa liberdade de opinião: a ASSOCIAÇÃO DOS BOMBEIROS MILITARES DE ALAGOAS. Sob a liderança de um praça (SGT BM Ramalho – presidente) esta associação tem como objetivo exercer de fato seu papel de representatividade plena a favor de seus associados.
Com base nessa nova filosofia, estamos querendo reforçar o ideal dos que fazem este blog e implementar em nossa corporação o espírito de engajamento na luta por nossos direitos. Para isso, nos apresentamos como voluntários para intermediar o processo de Tolerância Zero em nossa corporação através, dos subsídios que este blog foi reunir com os militaes de Sergipe [e mais recentemente com os militares do Rio Grande do Norte]. Desde já estarei em QAP para dirimir possíveis dúvidas, bem como aguardando as devidas orientações, seja através do nosso e-mail de contato, ou por qualquer outro dispositivo de comunicação que os senhorres possam utilizar.

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário