Cabo do Bope e sargento do batalhão da Maré serão enterrados em Sulacap

RIO — O cabo do Batalhão de Operações Especiais (Bope) Éder Gomes Mattos e o sargento do 22º BPM (Maré) Fabio Alexandre Eufrásio da Silva serão sepultados nesta terça-feira. Os dois — respectivamente o 128º e o 129º policiais mortos no estado do Rio apenas neste ano — foram assassinados por bandidos, em crimes praticados entre o início da noite de domingo e o fim da madrugada de segunda-feira. As duas situações foram distintas.
Ambos os militares serão velados e enterrados na capela 4 do Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio. De acordo com a Polícia Militar, a cerimônia do Cabo Éder será realizada às 10h30m, mas o corpo estará no local a partir das 8h30m. Ainda segundo a corporação, o sepultamento do sargento Fabio está programado para acontecer à tarde, às 16h. O corpo do PM será velado a partir das 13h.
O sargento Fabio morreu após ser atingido por tiros no fim da madrugada desta segunda-feira. Ele foi vítima de disparos efetuados por bandidos durante uma abordagem realizada na Avenida dos Democráticos, em Bonsucesso, na Zona Norte do Rio. Ele foi tingido na perna direita, no braço esquerdo e no rosto. O PM chegou a ser levado e socorrido para o Hospital Geral de Bonsucesso, mas não resistiu aos ferimentos.
O crime aconteceu por volta das 4h30m, momento em que ele, acompanhado de um colega de farda, havia parado um automóvel para que pudessem revistá-lo, assim como seus ocupantes. Na ação, um dos bandidos atirou contra o sargento. Os criminosos fugiram e levaram o fuzil do policial militar. A arma do PM foi recuperada durante uma operação da corporação em busca dos assassinos nas comunidades Parque Arará, Mandela, Jacarezinho e Manguinhos.
Menos de 12 horas antes, também na Zona Norte, o cabo do Bope Éder foi morto depois de ter sido baleado em Parada de Lucas. Ele, que é maratonista, não estava a trabalho no momento em que foi abordado por bandidos na Avenida Brasil, no início da noite deste domingo. Ele pilotava a própria moto na via expressa, não estava fardado e portava uma arma.
De acordo com testemunhas, havia bandidos em dois veículos. Os que estavam no primeiro automóvel abordaram o policial. Na ação, comparsas que estariam num segundo carro teriam efetuado disparos. Um veículo que teria sido utilizado pelos assassinos foi encontrado em Cordovil.
Ambos os casos são investigados pela Delegacia de Homicídios da Capital (DH), onde os registros das ocorrências foram realizados.
Fonte: EXTRA

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário