Cabral terá como companheiros de presídio traficantes da maior facção do Rio

Ao escolher a penitenciária federal de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, como destino de Sérgio Cabral, o Ministério da Justiça levou em conta que, dos quatro presídios da União, trata-se daquele com menor número de detentos oriundos do Rio de Janeiro, estado que Cabral governou por oito anos. Mesmo assim, porém, o ex-governador terá, em celas vizinhas à que vier a ocupar na unidade, a partir dos próximos dias, um punhado de criminosos que a sua própria gestão ajudou a colocar atrás das grades.
Atualmente, estão cumprindo pena na penitenciária de Campo Grande, pelo menos, oito traficantes do Rio, todos integrantes do Comando Vermelho (CV), maior facção fluminense. Desses, três foram capturados entre 2007 e 2014, período em que Cabral ocupou o Palácio Guanabara, e outros dois já na gestão de Luiz Fernando de Pezão, aliado que sucedeu o ex-governador.
O nome mais conhecido da lista é o de Ricardo Chaves de Castro Lima, o Fu da Mineira, preso durante uma operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope), em 2015. Ele era apontado à época como um dos bandidos mais perigosos do estado e havia protagonizado, nos meses anteriores, diversos confrontos com bandos rivais, numa disputa pelo controle da venda de drogas.
Veja, abaixo, a lista dos outros sete traficantes do CV que encontram-se encarcerados na penitenciária federal de Campo Grande:
– Antonio Ilario Ferreira, o Rabicó
Preso em 2008, na Paraíba, é apontado como uma liderança de altíssima periculosidade da facção. Ele seria responsável por adquirir armas e drogas que abastecem o Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio.
– Bruno Coutinho, o Brunaldo
Também oriundo de São Gonçalo, a polícia afirma que ele é o braço-direito de vários criminosos que atuam no município.
– Eduardo Fernandes de Oliveira, o 2D
Foi preso em abril de 2014, em Búzios, na Região dos Lagos, cerca de duas semanas após Cabral renunciar ao governo do estado para dar lugar a Pezão. Eduardo teria participado de vários ataques a UPPs, em especial no Complexo do Alemão.
– Jorge Alexandre Cândido Maria, o Sombra
Homem de confiança de Fernandinho Beira-Mar, que também cumpre pena no sistema federal, Jorge seria o responsável por repassar as ordens do chefão a outros traficantes importantes dentro da hierarquia da facção.
– Lindomar de Oliveira Brant, o Dodô da Reta
Chefe do tráfico de drogas na comunidade da Reta Velha, em Itaboraí, também na Região Metropolitana do estado. Em 2013, uma tentativa de resgate conduzida por seus comparsas resultou na morte de um inspetor penitenciário.
– Luiz Claudio Serrat Correa, o Claudinho CL
Responde por uma vasta lista de homicídios, incluindo desafetos, policiais e civis. Investigações indicam sua participação no assassinato, em 2008, do então diretor do presídio Bangu III.
– Tiago Rangel da Fonseca, o TH
Mais um bandido com origens em São Gonçalo. Homem de confiança da cúpula da facção, era o responsável por comandar grande parte dos ataques contra comunidades sob o domínio de quadrilhas rivais.
Fonte: Extra

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário