Cartaz na entrada da favela Beira-Mar, em Caxias, proíbe circulação de carros e motos

 

Às margens da Rodovia Washington Luiz, a favela Beira-Mar, no bairro de mesmo nome, em Caxias, é considerada uma das mais perigosas da Baixada. Pelo menos desde a última sexta-feira que um aviso na principal entrada da comunidade deixa claro que ali ninguém pode entrar, com exceção dos moradores. Um cartaz foi colocado no local e proíbe carros e motos de transitarem por lá. Caso a “ordem” seja desobedecida, há ainda uma ameaça:
“Quem peitar o papo será cobrado severamente”, diz a mensagem.
O texto é assinado por pessoas que se intitulam como “rapaziada da barra pesada”.
Ciente do cartaz, o comandante do 15º BPM (Caxias), tenente-coronel Sérgio Porto, realizou uma ação no fim da tarde de ontem para retirar o cartaz do lugar. O “Mais Baixada” flagrou a faixa no período da manhã.
Diante da violência na cidade, o Conselho municipal de Segurança Pública irá solicitar hoje uma audiência pública com o secretário estadual de Segurança. O encontro deverá ser marcado até o fim deste mês e tem como objetivo cobrar mais estrutura aos policiais que atuam em Caxias.
— Com cartaz ou sem cartaz, eu tenho certeza que o nosso comandante irá entrar. Não vai ter esse problema. Mas nós precisamos de melhor estrutura para o batalhão. As viaturas estão todas sucateadas — reclama Osmar de Paiva, diretor de assuntos comunitários do Conselho de Segurança.
Segundo dados do órgão, Caxias possui hoje apenas 520 PMs, contra 1.250 há dois anos. Além disso, há pelos menos seis viaturas paradas esperando conserto.
— A nossa situação é muito preocupante. Por isso quero cobrar uma atenção maior do Estado. Os homicídios e os roubos de carros explodiram aqui em Caxias — afirma Osmar.
De acordo com dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), o município registrou 257 veículos roubados somente em agosto deste ano, enquanto, no mesmo período do ano passado, tinham sido 150. Já o roubo a pedestre subiu de 379 para 414, também comparando agosto deste ano com 2016. Todos os índices são da área que engloba a favela Beira-Mar.
Fonte: Extra

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário