Delegado e PM são presos suspeitos de esquema de jogo do bicho

Uma operação do Grupo Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), do Ministério Público catarinense (MPSC), resultou na prisão de dez pessoas em Santa Catarina e no Paraná. Durante a ação, foram detidos um delegado paranaense e um sargento da Polícia Militar catarinense suspeitos de estarem envolvidos em um esquema ilegal de jogo do bicho, na região entre São Bento do Sul, no Norte catarinense, e Rio Negro, no Paraná.
As prisões ocorreram durante a tarde desta segunda-feira (29). O delegado da Polícia Civil foi detido em flagrante quando recebia o pagamento por facilitar o esquema ilegal, em Rio Negro. Segundo o MPSC, além dele, outros dois exploradores do jogo do bicho em São Bento do Sul também foram presos quando entregavam os valores ao policial. Os pagamentos mensais eram monitorados há vários meses pela equipe de investigadores responsável pelo caso.
Durante a operação denominada como Game Over II, foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão e dez de prisões temporárias e preventivas. Também foram apreendidos documentos e equipamentos eletrônicos. Conforme o MPSC, duas casas lotéricas foram interditadas por ordem judicial, suspeitas de facilitarem a lavagem do dinheiro obtido através do jogo ilegal na região.
De acordo com o Ministério Público, os suspeitos detidos serão interrogados e podem ocorrer novos pedidos de prisões, de acordo com a evolução das investigações. O delegado preso foi encaminhado para Curitiba. Os outros foram levados ao Batalhão da Polícia Militar de São Bento do Sul e à Penitenciária Industrial de Joinville.
As investigações começaram em 2012, pela 3ª Promotoria de Justiça de São Bento do Sul. Elas apuram crimes relacionados ao jogo do bicho, como formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva. (G1).

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário