Delegado impede policiais de aderirem à greve e acaba sendo denunciado por assédio moral

Policiais civis lotados em uma delegacia central de Campo Grande protocolaram, nesta quarta-feira (15), uma denúncia de assédio moral na Corregedoria da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) contra um delegado da Polícia Civil.
De acordo com informações do Sinpol/MS (Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul), o delegado é acusado de cometer assédio moral contra os agentes por causa do movimento grevista, que é organizado pelo sindicato e tem previsão de início nesta sexta-feira (17).
O presidente do Sinpol/MS, Alexandre Barbosa, contou à reportagem que tudo começou quando os agentes da delegacia conversavam sobre os movimentos de greve e da manifestação na Assembleia Legislativa, que aconteceu na manhã de hoje.
Nesse momento, o delegado teria chamado a atenção de um dos agentes. Ele ainda teria sido insultado e humilhado pelo delegado, que também teria pressionado todos os policiais civis a não aderirem à greve.
Questionado sobre o fato, o delegado afrmou que apenas indagou o servidor sobre a necessidade de ir ao movimento do sindicato na Assembleia, já que a greve estava programada para o dia 17 de maio e ele deveria cumprir com o dever de atender à população.
O delegado conta que o agente apenas comunicou que estava saindo e foi acompanhado pelos colegas de serviço, deixando a delegacia sem investigadores e sem prestar atendimento à sociedade.
Até o final desta tarde, os policiais também informaram que encaminharão a mesma denúncia por assédio moral ao Ministério Público Estadual (MPE-MS).
Midiamax

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário