Detalhes sobre o esquema do ENEM


Acabamos de conversar por telefone com nosso informante dentro da SEDS – vamos chama-lo de senhor “Y” para preservar sua identidade – que nos repassou como funcionou o esquema montado dentro do CPC para desviar parte do dinheiro que foi repassado pelo governo federal para o pagamento das diárias operacionais do ENEM.
Após escalados, os militares – principalmente os que compunham o efetivo da Radiopatrulha, como exemplo – entregavam a P1 uma conta corrente para que fossem lançadas as diárias federais. Até ai nenhum mistério. A escala foi feita e publicada no ADITAMENTO Nº 043 AO BGO Nº 196 DE 19 DE OUTUBRO DE 2011, incluindo também como atribuição do BPRp e a demais batalhões específicos em sua área de atuação a escolta das provas entre outros.

Ocorre que o CPC, segundo o informante, não repassou a conta corrente dos militares para o MEC, na figura do INEP, e sim repassou uma conta corrente relativa ao próprio CPC e até agora não depositou nestas contas nenhum valor pecuniário relativo às diárias.

Após pressão dos militares que trabalharam, mas não receberam o comando informou que irá fazê-lo ainda esta semana, mas repassará as diárias estaduais no valor de R$ 36 reais, apropriando-se indevidamente de um valor próximo a R$ 80 reais por militar empregado no efetivo do ENEM.

Crime federal ou apenas uma forma de custear serviços administrativos dentro da instituição? Esperamos uma resposta TRANSPARENTE dos arquitetos desse esquema de desvio de recursos públicos – bem como a sua punição exemplar como prega em seus discursos o secretário de (in)segurança e do despreparo social, o Sr. Dário, o César.

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário