Diagnóstico do 6º BPM

Olá caros amigos. Sou PM de Alagoas e parabenizo a todos que fazem a Briosa em Foco. Gostaria muito que vocês colocassem em foco o que tenho a dizer, haja vista ser mais uma vergonha em nossa polícia.
Sou militar do 6º BPM, em Maragogi, e hoje temos no subcomando da nossa unidade um capitão chamado BULHOES, um cara que não tem nada de bom dentro de si, que é um verdadeiro imoral, que – podem acreditar – vive incomodado com o que vocês fazem. A razão de referir-me ao capitão por “imoral” é porque este capitão está agindo como se fosse superior à Constituição Federal, violando direitos consagrados, pois em sua visão não existe nada acima do que ele acredita como sendo o certo.
Um verdadeiro falso moralista, que determinou que “para toda dispensa médica, seja por motivo ‘fútil’ ou justificado, o militar tem que pagar ‘o dia não trabalhado’ com um expediente”, o que caracteriza falta de respeito e falta de humanidade. Onde já se viu obrigar o militar dispendo a cumprir um dia de expediente para “pagar” a dispensa medica? Diante dessa situação, o P1 do BPM é meramente um fantoche, pois não tem autonomia para nada. Isso porque nada relativo a serviço ele (o P1) da unidade resolve.
Agora vejam só, o capitão Bulhões pressiona de um lado e do outro vem a imoralidade: ele acocha, mas quando o presenteiam (crime de corrupção passiva), ou fazem favores a ele (crime de favorecimento pessoal), ele abre as pernas de forma descarada, ou seja, o capitão subcomandante vive aliviando a vida dos militares que lhe fazem favores. Tem militar no BPM que quando não quer trabalhar liga para ele e diz que não vai, pois o mesmo vive (no dia de serviço) sendo dispensado para ir buscar filho do capitão em Maceió e levar para o interior de Pernambuco (crime de desvio de finalidade). Fora isso, também pega estes militares para fazerem serviços particulares para ele, como buscar carro em Maceió e também levar a PAUDALHO, interior de Pernambuco, onde o capitão tem familiares. Como é que um oficial desta “qualidade” pode estar punindo alguém? Pois ele vem a todo instante punindo os militares do BPM. Isto é imoral.
Ele, na cara de pau, tira o militar do serviço, fazendo com que a guarnição fique desfalcada, interferindo no bom andamento do serviço, simplesmente para que o militar faça favores a ele, tal qual um office-boy. Será que o Comando da Polícia, bem como o do 6º BPM sabe destes acontecimentos? Este capitão tem que ser afastado urgentemente do batalhão, pois o que ele está fazendo está comprometendo a segurança pública local, assim como causando desarmonia na unidade, sendo assim uma verdadeira imoralidade. Sabe-se também que a região de Maragogi é “viciosa” em dinheiro e o mesmo capitão é conhecido como “adorador” de dinheiro.
Por fim, lá no BPM tem uns oficiais que vivem falando mal de vocês. Os mesmos compartilham da ideia do subcomando, que acredita que o militar esteja à parte no que se refere à democracia, pois em suas visões somos regidos “apenas” pela hierarquia e a disciplina, e adentrar publicamente em assuntos inerentes à segurança pública sem autorização do comando significa falta de respeito e sobretudo indisciplina, razão pela qual vocês deveriam ser punidos por ataques aos superiores. Pelo exposto, este é um dos pensamentos destes oficiais que se acham donos da Polícia Militar, os quais, quase sempre que estão à frente de uma formatura matinal, ao invés de falar sobre as recomendações do serviço, gastam boa parte do tempo criticando o que é citado por vocês. Diga-se de passagem, foi através de um destes oficiais que fiquei sabendo deste site (um verdadeiro tiro no pé, pois somente atiçou a curiosidade de muitos que não conheciam esta página). É, caros amigos, podem acreditar: vocês incomodam os imorais.
Quero terminar esta carta com uma singela pergunta: “será que o comandante do BPM sabe do que acontece em seu subcomando?”

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário