Ex-PMs são condenados a 36 anos de prisão por executar jovem no Sumaré

Dois ex-policiais militares foram condenados a 36 anos e quatro meses de prisão, cada um, pela morte do adolescente Matheus Alves dos Santos, executado no Morro do Sumaré, Zona Norte do Rio, em junho de 2014.
Fábio Magalhães e Vinícius Lima também foram condenados por ocultação de cadáver e por tentativa de homicídio contra outro jovem, que escapou após se fingir de morto, depois de ter sido baleado duas vezes.
Eles foram condenados a 21 anos pelo crime de homicídio, a 14 anos pelo de tentativa de homicídio e a um ano e quatro meses pelo rime de ocultação de cadáver. A decisão foi do juiz Rafael Cavalcanti Cruz.
Mateus Alves dos Santos, de 14 anos, que foi encontrado morto no Sumaré Foto: Reprodução.

Policiais levaram adolescentes para o Sumaré

Matheus Alves dos Santos, de 14 anos, teria sido flagrado pelos dois policiais do 5º BPM (Praça da Harmonia) cometendo roubos na Avenida Presidente Vargas, no dia 11 de junho, acompanhado de um outro adolescente, de 15. Em vez de encaminharem os menores para a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), como é praxe nesses casos, eles levaram os supostos infratores diretamente para o Sumaré.
No alto do morro, Matheus foi executado com um tiro de fuzil na cabeça. O outro adolescente, mesmo ferido à bala nas costas e na perna, se fingiu de morto e conseguiu fugir pela mata. Ele foi até o Morro do Turano, no Rio Comprido, e de lá seguiu para o Complexo da Maré, onde mora com a família. Fábio e Vinicius foram identificados como os responsáveis por toda a ação através das câmeras da viatura, e o trajeto do carro foi rastreado pelo GPS.
Fonte: Extra

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário