Futuros policiais estão “apenas a capinar”

Reproduzimos abaixo o e-mail em nome de “Líder Comunitário”, alertando que os alunos (“precários”) do CFP estão há semanas sem aula, e como forma de ocupação estão tendo de passar o dia capinando. Uma situação, que na visão do autor do e-mail e de um deputado, conforme será demonstrado e comentado por este blog, apenas tem ensinado os alunos a “capinar”:
Exmo. Senhor Diretor Chefe de Redação
Senhor Diretor,
Venho por meio desta, expor uma reportagem que foi publicada no dia 24 de agosto pelo site Gazetaweb, onde o deputado estadual Ronaldo Medeiros (PT), durante sessão ordinária do dia 24 de agosto do corrente ano, utilizou a tribuna da Casa de Tavares Bastos para criticar o fato de que existem 97 praças, que já se encontram prontos e ansiosos para realizarem o trabalho de patrulhamento nas ruas da cidade e por meio de irresponsabilidade do governo a formatura dos mesmos só está prevista para acontecer no final do ano. Enquanto a data não chega os policiais são obrigados há passar o dia todo capinando mato e realizando trabalhos de garis dentro do quartel! Nós, representantes comunitários, ficamos surpresos com tamanha irresponsabilidade e fomos atrás das informações visando comprovar a veracidade da informação para que possamos assim solicitar ao governador a formatura imediata dos policiais militares, visando obter como consequência positiva mais policial nas ruas e minimizar o principal problema da segurança pública do nosso Estado que se dá pelo gigantesco déficit da Policia Militar. Além de comprovar a informação, descobrimos diversas irregularidades que estão sendo aplicadas contra os 97 policiais, uma vez que os mesmos se encontram prontos e confinados no CFAP não tendo mais instrução, estão sendo penalizados e humilhados diariamente por oficiais daquela unidade e obrigados a exercer atividade que não condiz com a profissão que conseguiram por meio de concurso público, uma vez que os mesmos foram aprovados para serem policiais militares, onde a atividade fim é desenvolver o policiamento ostensivo e manter a ordem publica e não é isso que vem acontecendo, já que os mesmos vêm desenvolvendo atividades que estão relacionadas a serviços gerais, como, lavar banheiro, capinar mato, recolher lixo, lavar salas, lavar panos, podar árvore, limpar alojamento de oficiais entre outras, e o que é mais agravante são as punições que ainda continuam sendo aplicadas, mesmo já tendo sido denunciados ao ministério público, OAB e direitos humanos por estarem indo de encontro à constituição federal e o regulamento da própria corporação. O sentimento dos policiais é de revolta e indignação! Uma vez que os mesmos já deveriam estar nas ruas combatendo a violência e estão sendo obrigados a realizar serviço de gari! Por este motivo solicitamos a realização de uma matéria em caráter emergencial solicitando uma resposta convincente das autoridades competentes.
Confira abaixo a reportagem da Gazeta web, que foi publicada no dia 24 de agosto d 2011
Deputado diz que 97 futuros policiais estão “apenas a capinar”
Ronaldo Medeiros critica comando da Polícia Militar devido à demora para formatura, prevista apenas para dezembro
Gazetaweb ­– com Bruno Soriano
O deputado estadual Ronaldo Medeiros (PT), durante sessão ordinária desta quarta-feira (24) na Assembleia Legislativa de Alagoas, utilizou a tribuna da Casa de Tavares Bastos para criticar o fato de, segundo ele, 97 praças aguardarem ansiosamente a formatura para então seguirem ao trabalho de patrulhamento nas ruas da cidade. A solenidade, de acordo com o parlamentar, está prevista apenas para dezembro. Até lá, conforme Medeiros, os futuros policiais militares exercerão apenas uma atividade diária: capinar.
“São quase cem homens que já poderiam estar servindo à população alagoana, visto que já concluíram o curso de formação. Eles estão há mais de dois meses apenas arrancando mato, já que o Comando da PM diz que a formatura deverá ocorrer somente no final do ano”, comentou o deputado, que também criticou o fato de, segundo ele, as cooperativas não terem sido contempladas no processo de licitação do transporte intermunicipal de passageiros em Alagoas.
Em aparte ao discurso do petista – segundo ele, cada praça estaria a receber apenas R$ 600 mensais pelo serviço –, o deputado Edival Gaia Filho, líder do Governo na Assembleia Legislativa, disse que iria se inteirar da situação para trazer uma resposta ao colega parlamentar já na sessão desta quinta-feira (25).
Nota de esclarecimento: Respeitamos a indignação de quem se vê à mercê da violência vigente em nosso cotidiano, a qual se prevalece da falta de policiais nas ruas. Sabemos das irregularidades que tem ocorrido no CFAP, e quem acompanha a nossa página há algum tempo sabe que nós temos denunciado as irregularidades da Unidade Escola. No caso específico dos alunos que estão sob judice, os mesmos não estão tendo aulas porque – segundo chegou ao nosso conhecimento – “não houveram monitores interessados em ministrar as suas aulas”, e como a PM tem que cumprir a ordem judicial e colocá-los em algum curso, o qual tem cumprir certa carga horária para ter validade, eis a razão dos alunos estarem apenas capinando, bem como eis a razão da formatura estar prevista para dezembro. Queremos deixar claro que não estamos defendendo que os mesmos devam ficar nessa situação, a de terem de ficar fazendo faxinas em lugar de terem instruções policiais, haja vista não estarem nas salas de aula. Mas seria de uma irresponsabilidade muito grande por nas ruas alunos que, mesmo tendo aulas regularmente já são mal formados, imaginam então quem nem sequer tem noção do que vem a ser a atividade policial. Especificamente sobre este ponto, observamos que há muito tempo, bem dizer depois que foram extintos os Cursos de Formação de Cabos, assim como os Cursos de Formação de Sargentos, que a formação no CFAP tem deixado completamente a desejar. Se já naquela época (dos CFCb e CFSgt) as formações apresentavam alguma deficiência, o que ocasionalmente comprometia a formação, quem dirá nos dias de hoje, e ainda mais diante do caso apresentado. Ainda sobre o emprego dos alunos em atividades de faxina, desde que os mesmos não sejam utilizados em serviços pessoais, tais quais limpar alojamentos de oficiais, ou dos sargentos, todo resto é lícito, pois tem previsão legal na Lei nº 6.399, de 15 de agosto de 2003. Portanto, dizer que aluno não possa fazer a faxina dos banheiros e das salas de aula que eles mesmos usam, quiçá de certas áreas da Unidade de Ensino, é um equívoco. Repetimos: o que não pode ocorrer é o emprego dos alunos em serviços pessoais, ou empregá-los nas atividades de faxina em detrimento das instruções. Para finalizar, ressaltamos – como já dissemos em outras ocasiões – que não fazemos oposição ou denunciamos as coisas erradas apenas por fazer, muito menos fazemos sem embasamento, como o faz aqueles que sem conhecer a legislação castrense, muito menos quanto ganha um Soldado de 3ª Classe (o que no caso é R$ 964,42 bruto | R$ 858,33 líquido), fica por aí dizendo as coisas na base da emoção engabelando a sociedade. OBS: Esta carapuça vai para todos os deputados, os quais podem fazer alguma coisa em prol da PM, e a segurança pública em si, mas ficam do alto de suas hipocrisias agindo com oportunismo nos anseios da população, que clama por segurança e reivindica aumento de efetivo das forças públicas, mas que ignoram que o grande problema reside, de fato, nas políticas públicas que eles não adotam.
Agradecemos a confiança do leitor, atenciosamente,
Assessoria do Blog Briosa em Foco

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário