Gaeco faz operação contra esquema de corrupção em transferência de presidiários

Quatro pessoas, dentre elas o diretor de unidade de Araçatuba e uma advogada, foram presas durante ação do Ministério Público. Foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão também em São José do Rio Preto.
Quatro pessoas foram presas na madrugada desta quinta-feira (12) durante uma operação do Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em combate a um suposto esquema de corrupção envolvendo a transferência de detentos do sistema prisional.

O diretor do Centro de Ressocialização de Araçatuba (SP), José Antônio Rodrigues Filho, uma advogada de Mirassol (SP), um agente penitenciário e o filho dele foram presos suspeitos de fazer parte do esquema. Foram expedidos pela Justiça sete mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão preventiva para cumprimento em Araçatuba e em Mirassol, região de São José do Rio Preto (SP).

De acordo com o MP, o agente penitenciário já estava preso desde o início das investigações. O filho dele foi preso por tráfico de drogas.

A identidade da advogada não foi divulgada. Thiago de Barros Rocha, advogado do diretor, disse para a TV TEM que vai se manifestar quando tiver conhecimento de toda a denúncia.

Segundo a investigação do Ministério Público, agentes penitenciários cobravam propina para transferir presos de outras unidades estaduais para o Centro de Ressocialização de Araçatuba, considerada uma unidade modelo no sistema prisional.

A operação foi feita em conjunto com a inteligência da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) e apoio da Polícia Militar.

Em nota, a SAP disse que os servidores envolvidos no caso responderão a processo administrativo sujeitos a demissão a bem do serviço público sem prejuízo do inquérito policial. A Secretaria ressalta ainda que repudia tal comportamento que não representa o corpo funcional e as diretrizes da secretaria.

O caso
A investigação começou em maio de 2017 e identificou que agentes penitenciários cobravam propina para transferirem presos para centro de ressocialização.

Ainda durante as investigações, um agente penitenciário aposentado envolvido no esquema foi preso em flagrante por tráfico de drogas e foram apreendidos 10 quilos de entorpecentes e uma arma de fogo.

A operação contou com a participação de seis promotores, agentes da SAP e 25 policiais militares.

*Com informações de Márcio Zeni e Rodolfo Pardini, da TV TEM de Araçatuba

FONTE: G1

Comente esta matéria

Comente esta matéria