GREVE BRANCA – II (a confirmação)

Existem verdadeiros gestores na segurança pública alagoana? Quem está à frente das instituições realmente sabe o que está gerindo? Tem conhecimento dos problemas e competência para achar soluções? Acredito que todas essas respostas sejam um sonoro não.
Se o leitor tiver tempo e vontade, poderá acompanhar durante a semana nos meios de comunicação todas as trapalhadas cometidas pelos supostos gestores de segurança pública. Ainda acreditam que só as ideias oriundas da alta cúpula são a solução para os problemas da violência do Estado, mesmo que todos os índices mostrem o contrario, e o que é pior, ainda tentam desqualificar as vozes que mostram o contrário.
As últimas declarações do comandante sobre a “greve branca” do BPTran são a prova cabal da total forma de conhecimento do que vem acontecendo com a tropa. E sobre a baixa radical nos índices de fiscalização de trânsito, o comandante respondeu apenas que: “se houve essa redução, precisamos fazer um trabalho de gestão para identificar as falhas e corrigi-las”. Apesar do coronel não deixar claro que sabia da queda nas infrações, o presidente do Detran, Lúcio de Melo, informa que já tinha discutido esse assunto com ele, ou seja, chamou o comandante de mentiroso.
Já havíamos alertado aqui no BEF sobre essas situações, tanto da greve branca (clique aqui), como também da queda da qualidade do policiamento tanto urbano, quanto rodoviário (clique aqui). Nossos pseudogestores fizeram mais uma “cagada”, e ainda querem maquiar a bela merda que fizeram.
Mas o que podemos esperar de gestores que não conhecem a sua tropa? O que podemos esperar de comandantes que nunca comandaram nada, e que mesmo estando no comando, não se deslocam para conhecer a realidade das unidades que compõem a organização PMAL?
Sobre a queda das notificações do BPTran podemos esperar para essa semana uma determinação esdrúxula do tipo “mapa de notificação”, onde as guarnições de trânsito terão um mínimo de notificações a serem realizadas durante o serviço, sem contar o aperto que deverá ser dado nas preleções de serviço, com ameaças de transferências. Aos companheiros do Batalhão de Trânsito sugerimos que se for realizado este absurdo, tirem foto, filmem ou façam uma cópia dessa absurda determinação para postarmos aqui.
O que a sociedade precisa entender é que com esse atual comando e secretário de segurança, a tropa vai continuar fazendo corpo mole, pois os policiais militares alagoanos não os têm como exemplos a serem seguidos, não os reconhecem como comandantes. A sugestão do BEF é que o Dadá e o Lulu parem de tentar perseguir a “suposta oposição” (que está mais próxima do que imaginam, conforme mostraremos em poucos dias), e canalizem todos esses esforços para trabalhar de verdade em prol da sociedade alagoana.
Finalizando este post, não posso deixar de comentar os mais de 500.000 acessos deste blog de combate à opressão e a incompetência, o que demonstra que conseguimos desmascarar quinhentas mil vezes essa gestão amadora e corrupta, que coloca em segundo plano a sociedade alagoana e os verdadeiros policiais militares. Que venham mais 500.000 acessos!

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário