Maj da PM é suspeito de torturar duas pessoas por roubo de R$ 210 mil

A Corregedoria-Geral do Sistema de Segurança Pública do Amazonas está investigando duas denúncias de tortura contra o major da Polícia Militar Sandro Nogueira Targino.
A Corregedoria-Geral do Sistema de Segurança Pública do Amazonas está investigando duas denúncias de tortura contra o major da Polícia Militar Sandro Nogueira Targino, motivadas por um roubo de R$ 210 mil da residência do policial.
Duas pessoas denunciaram que foram torturadas pelo PM, que suspeitou que eles tivessem cometido o furto.  A primeira denúncia foi registrada no dia 14 de abril e a segunda no dia 19 de maio.
Segundo o delegado titular da Especializada em Roubos e Furtos (Derf), Orlando Amaral, o major foi até à delegacia fazer o registro do roubo no dia 16 de abril, dois dias após a primeira denúncia ser registrada contra ele na Corregedoria. No Boletim de Ocorrência, consta que o roubo aconteceu no dia 9 de março.
Orlando Amaral informou que não deu continuidade às investigações porque o policial tentou desvendar o crime por conta própria.
“Ele registrou o furto depois de mais de um mês do ocorrido. Mas amanhã (25) irei chamá-lo para depor, juntamente com as pessoas que ele acusa”, informou o delegado.
O policial apontou seis funcionários, que, segundo ele, estavam trabalhando na residência.  
Em nota, a Corregedoria informou que ‘os procedimentos investigativos e apuratórios tramitam por meio de sindicância regular e inquérito policial instaurados para apurar o fato e indicação das medidas cabíveis’. (D24am).

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário