Mortes por latrocínio crescem 55% na capital paulista em abril, diz governo

Catorze morreram em assaltos na cidade de São Paulo no mês passado.
Número de vítimas de homicídio caiu em abril deste ano.
O número de latrocínios (roubos seguidos de morte) na capital paulista aumentou 55% na comparação entre abril deste ano e o mesmo mês de 2012, segundo dados da violência divulgados nesta sexta-feira (24) pela Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP). Foram nove pessoas mortas em abril do ano passado e 14 no mês passado.
O número de vítimas de homicídios, por sua vez, caiu 3,7%. Foram 106 mortos em abril de 2012 e 102 em abril de 2013.
Ainda na capital paulista, o número de estupros também apresentou alta:  foram  246 neste ano, ante 233 no mesmo mês em 2012, uma alta de 5,5%.
Durante entrevista coletiva para apresentar os índices, o secretário da Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella Vieira, afirmou que um dos fatores para explicar o aumento do latrocínio poderia ser a ‘sazonalidade’ dos diversos tipos de crimes praticados.
“Na verdade, ao que se deve o aumento dos latrocínios? Veja esse é um fator que o crime tem sazonalidades. Então você combate às vezes uma modalidade, outra modalidade se coloca. Isso não existe uma explicação. O que precisa é nós adequarmos o policiamento, incrementarmos os esclarecimentos desse crime e adequarmos o policiamento ostensivo”, comentou Grella. “Não há uma explicação certa, concreta e definitiva para isso. Política de segurança pública é um processo, não é uma obra pronta e acabada”.
O secretário ainda falou que espera obter avanços na diminuição dessa modalidade de crime. “O combate ao latrocínio vai ser reforçado com a mudança estrutural feita nessa semana com a transferência desse crime para o Deic. Quando esclarecemos e combatemos o roubo, combatemos o latrocínio”, disse Grella. “O latrocínio, eu queria lembrar, é o filho do roubo. É o roubo que não deu certo.”
No mês passado, o caso mais emblemático de latrocínio na capital foi que resultou na morte do estudante do curso de Rádio e TV da faculdade Cásper Líbero Victor Hugo Deppman, de 19 anos. Ele foi morto durante um assalto em frente ao prédio onde morava no dia 9 de abril. O jovem não reagiu e chegou a entregar seu celular para o criminoso, que ainda assim disparou contra a cabeça do estudante.
Grella também afirmou que houve “pequena alta” de 9% no número de latrocínios no estado, mas que os casos foram “quase zerados” em São José do Rio Preto e Baixada Santista.
O secretário afirmou ainda que a queda no total de homicídios pode ser atribuída ao trabalho das policias Civil e Militar. “São Paulo e todas as regiões vêm registrando desde o início do ano uma tendência de queda. […] Essa tendência se explica pelo trabalho redobrado que as polícias Civil e Militar têm desenvolvido. Seja nas prisões realizadas e apreensões de armas”, disse.
Crescem roubo e furtos de veículos
O balanço mensal do governo estadual mostrou que houve crescimento também dos casos de roubo e furtos de veículos. Foram 4.222 roubos no ano passado ante 4.025 em 2012 – alta de 4,89%. Já os casos de furto de veículos passaram de 3.873 para 4.258, incremento de 9,9% no mesmo período. Se somados, os crimes de subtração de veículos tiveram alta de 7,3%.
Ainda segundo dados da SSP, o roubo a banco registrou uma grande alta, de 80%. Foram 5 casos em abril de 2012 e 9 no mesmo mês deste ano na cidade de São Paulo.
Região metropolitana
Na Grande São Paulo, comparado-se os dados de março e abril deste ano é possível verificar um aumento nos casos de latrocínio, estupro, roubo a banco e furto de veículos, por exemplo. O número de vítimas de latrocínio, por exemplo, passou de 9 em março para 12.
No dia 25 de abril, a dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza, de 47 anos, morreu queimada após um assalto a seu consultório em São Bernardo do Campo. Três criminosos invadiram o consultório dela, na Rua Copacabana e anunciou o assalto. Como eles não encontraram dinheiro, a dentista entregou o cartão e a senha. Os criminosos voltaram, atearam fogo na vítima e fugiram em um carro.
Sobre o aumento do estupro, Grella relacionou o crime, por exemplo, ao consumo de drogas. Segundo ele, em muitos casos, o estuprador está sob efeito de entorpecente. “O estupro é um crime que nos deixa revoltados, causa repugnância e ele também faz parte da nossa prioridade”, falou o secretário.
Estado
No estado, número de vítimas de homicídio caiu de 393 em abril de 2012 para 386 no mesmo mês de 2013 – queda de 1,7% Já as vítimas de latrocínio passaram de 33 para 36 no mesmo período da comparação – crescimento de 9,2%.
O estado viu o número de estupros passar de 958 para 1093 entre abril de 2012 e abril de 2013 – crescimento de 14%.
Os casos de roubo a banco mais que dobraram no estado: foram 18 em abril deste ano e 8 no mesmo mês do ano anterior – alta de 125%.
Os casos de roubo e furto de veículos também registraram alta. Foram 8.020 veículos roubados no mês passado ante 7.884 em abril de 2013 – alta de 1,7%; já os casos de furto, no mesmo período de comparação, passaram de  9.308 para 9.793 – crescimento de 5,2%.
Do G1 São Paulo

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário