“NOSSAS RESERVAS MORAIS ESTÃO EM BAIXA”

 ARTIGO DO DOUTOR OSVALDO LUÍS ZAGO, focalizando o nosso querido “VIGILANTE RODOVIÁRIO” TENENTE-CORONEL PM CARLOS MIRANDA.
Hoje, dia 29 de agosto, o CORONEL PM ANTÔNIO CARLOS MENDES mostrou-me um artigo do doutor OSVALDO LUÍS ZAGO, na página 2 do JP NOTÍCIAS, jornal que circula em BRAGANÇA PAULISTA, ATIBAIA, PIRACAIA e BOM JESUS DOS PERDÕES (sábado, 27 de agosto de 2011), na coluna “CONHEÇA SEUS DIREITOS. O título que o advogado OSVALDO LUIS ZAGO dá à sua crônica é “NOSSAS RESERVAS MORAIS ESTÃO EM BAIXA”.
As palavras do advogado fizeram com que tanto o MENDES como eu nos transportássemos aos nossos tempos de cadetes, nos anos 1960, quando conhecemos CARLOS MIRANDA, o VIGILANTE RODOVIÁRIO. Eis a íntegra do artigo:
“Recentemente, estive na cidade de POÇOS DE CALDAS, MINAS GERAIS, e ao passear pelo shopping que existe na entrada da cidade, conheci, pessoalmente, o “VIGILANTE RODOVIÁRIO”, o primeiro herói da TV brasileira, o qual protagonizou um seriado de 38 capítulos exibido na década de 60. Como nasci em 1967, assisti a reapresentação dos episódios ainda em preto e branco.
O “VIGILANTE RODOVIÁRIO” era um patrulheiro que, em companhia de seu cão, um pastor alemão, de nome “LOBO”, e a bordo de um automóvel sincachambord V8 preto e amarelo, protagonizava episódios de ação que receberam títulos como “A EXTORSÃO”, “REMÉDIOS FALSIFICADOS”, “TERRA DE NINGUÉM”, “O RAPTO DO JUCA”, “LADRÕES DE AUTOMÓVEIS”, “A CHANTAGEM”, “O ASSALTO”, dentre outras eletrizantes aventuras. Foi o primeiro “mocinho” da TV brasileira.
Depois de terminada a série, o “VIGILANTE” CARLOS MIRANDA ingressou na gloriosa Polícia Militar do Estado de São Paulo, até se “reformar” (aposentar) como tenente-coronel. Entrou para a história por ser a única pessoa que se transformou em personagem.
O TENENTE-CORONEL CARLOS MIRANDA, hoje com mais de 70 anos, estava vestido com uniforme igual aquele que usou nos filmes. A viatura “sinca”, impecavelmente restaurada, estava em exibição na entrada do shopping, onde os visitantes podiam tirar fotos com o “VIGILANTE”, as quais eram em seguida impressas e autografadas. Não tive dúvida, tirei uma foto com ele e com a JULINHA, que estava passeando comigo, na qual o “COMANDANTE” lançou uma gentil dedicatória. Acabei não resistindo e comprei uma caixa com quatro DVDs contendo 35 dos 38 episódios totalmente remasterizados, sendo que três se perderam.
Confesso que me emocionei enquanto conversava com o “VIGILANTE RODOVIÁRIO”, ao ouvir suas histórias, seu entusiasmo e seu orgulho em integrar a Polícia Militar do Estado de São Paulo. resolvi, então, escrever sobre o encontro com o “VIGILANTE”, por duas razões, basicamente:
Primeiro, porque fiquei feliz ao ver que existem pessoas aposentadas como ele que ainda nutrem o desejo de produzir, de serem reconhecidas, de darem alguma contribuição, algum bom exemplo à sociedade. Velhice não é doença. Segundo, porque ele me disse, categoricamente, que a Polícia Militar do Estado de São Paulo, no sentir dele, era uma das poucos reservas morais que existem em nosso País, em que pese existam alguns (poucos) maus profissionais. Aliás, maus elementos existem em todos os setores da sociedade e em todas as profissões.
Concordo com ele. Contudo, lamento o fato de nossas reservas morais estarem cada vez mais escassas. Escândalos e mais escândalos loteiam o noticiário da televisão, dos jornais, das rádios e da Internet, todos os dias.
Seguindo essa linha de raciocínio, lembro que, em 2012, teremos novo período eleitoral. Fique atento, caro eleitor. Desde já, analise as propostas, a vida pregressa dos políticos, feitos, conduta pessoal.
Existem pessoas boas na política, que dedicam as vidas e se sacrificam em benefício da sociedade, como o romântico “VIGILANTE RODOVIÁRIO”. Ainda existem pessoas como o herói da minha infância, prontos para ajudar, se dedicar, se entregar ao ideal de servir. Não seja descrente, caro leitor, pois o bem existe e é praticado por muitos, mas nem sempre aparece nos noticiários. As desgraças, desastres, notícias de crimes e prática de corrupção dão ibope.
É você, meu amigo “VIGILANTE RODOVIÁRIO”, TENENTE-CORONEL CARLOS MIRANDA, nossa reserva moral permanente. Seu exemplo de vida não pode ser esquecido; deve ser copiado e inspirar nossas ações. Sua vida e suas atitudes nos remetem a uma profunda reflexão. Quando parece que está tudo perdido, vemos, romanticamente, que ainda existe jeito para o mar de corrupção que existe em nosso País. O poder está na mão do povo, no voto.
ABRAÇOS A TODOS!”
Prometi ao CORONEL PM MENDES que transcreveria o artigo do doutor OSVALDO LUÍZ ZAGO, por considerá-lo excelente e, que, na medida do possível daria conhecimento aos meus amigos e amigas através da Internet. Nossos parabéns ao doutor OSVALDO LUÍS ZAGO e ao jornal JP NOTÍCIAS por ter publicada a crônica que deve ser divulgada a todos os bons brasileiros.
Coronel Mário Fonseca Ventura – Pres. da Sociedade MMDC

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário