O Desembargador tem toda razão

“Os PMs estão com sobrepeso, e não aguentam dar uma carreira se for preciso.”
A notícia caiu como uma bomba no desastroso reinado do Cel. Luciano Silva. As declarações, proferidas pelo Chefe do Judiciário de Alagoas, expuseram ainda mais a já escancaradas mazelas cotidianas da nossa tropa.
Também pudera: a imagem da nossa corporação não é tão maculada na mídia desde a época da gang fardada. Nessa vertente, é imperioso salientar que Dário, o César, e Luciano, o Malvadeza, foram competentíssimos em jogar o nosso nome – quase bicentenário – na mais porca lama.
Sem exageros, precisamos confirmar que as declarações do Desembargador Sebastião Costa são até amenas. Se o Tribunal de Justiça pudesse visitar as nossas instalações certamente sairia de lá diretamente para o hospital da Unimed (o mesmo frequantado pelo Comandante Geral) ou qualquer outro, tamanha a imundície dos alojamentos e banheiros. Mas o ideal é que eles fossem em visita de surpresa, para que as “maquiagens” não pudessem ser aplicadas. E que arranchassem o que a tropa come diariamente, para que não mandassem comprar a alimentação fora do quartel, para servir à nobre visita.
A polícia que o Comandante Geral e o midiático Secretário de Defesa Social querem mostrar à população não é a mesma que vemos todos os dias. Gostaríamos de ver todo este esforço positivado em melhorias para a tropa, ou pelo menos um mea-culpa digno de um cargo de envergadura, o qual ocupa.
As imagens não nos deixam mentir: o contingente esta mesmo acima do peso. Confesso que nem mesmo eu tenho um condicionamento físico adequado, apesar de ter passado dos 40 há pouco tempo apenas, pois estou na condição de “sobrepeso”. Não podemos nos culpar: não há como fazer um controle alimentar adequado e nem praticar exercícios físicos sendo submetido a esta escala desumana, o popular 12×24 e o 12×48 horas. Ou o comandante gostaria de nos obrigar a irmos às nossas unidades na nossa folga, aquela do “segundo dia”, para praticar educação física, UMA VEZ POR SEMANA? Na imagem vemos a polícia que “temos que esconder”.
Vejam esta imagem, que mostra uma fração da tropa que não corresponde à nossa realidade. Estes militares que ai estão fazem parte da turma atual de cadetes da APMSAM, jovens em média de 20 anos de idade, recém ingressos na corporação através de vestibular, saídos na sua maior parte do ensino médio das melhores escolas de Alagoas. Em pleno vigor físico. Essa é a policia que eles vendem para a população e para as autoridades constituídas.
Agora, meus caros, esta é a policia real. Trata-se de uma turma de alunos do curso de formação de soldados CFP, a reserva técnica do concurso de 2006. A média etária desta é de 35 anos, a barriga saliente é a marca característica premente. Esta sim, é a policia real, esta é a realidade dos que entram na nossa base piramidal, os que efetivamente vão trabalhar na atividade fim.
Luciano e Dário são os principais responsáveis pela desmoralização recentemente à qual a PMAL está sendo sacrificada perante a população. Precisamos de um comando que resgate a nossa dignidade, e é por isso que existimos. Para que o banditismo administrativo, em sua forma moral, seja expurgado da nossa caserna.
Não gostamos de mentiras e nem toleramos a covardia destes “gerentes”. Mesmo com a caçada implacável que está sendo desencadeada pelos que mais nos temem, muita coisa já vem mudando no nosso cotidiano, desde a criação deste espaço, e vamos continuar apertando estes calhordas (com todo respeito aos calhordas, claro!) até que eles mudem de atitude. O judiciário está de olho, e inclusive já encaminhou alguns ofícios para que nossas denúncias sejam apuradas. Dizem que a gente só “mete o pau” sem apresentar provas, nem chance de defesa. Mas eu lhes asseguro que diversas autoridades do nosso Estado têm recebido as nossas denúncias, dentre elas podemos destacar um dos mais recentes membros do CONSEG, o Dr. Maurício Brêda. Aguardem, breve teremos novidades para desespero dos comandantes furões e aproveitadores!

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário