Pai de PM morto afogado fala de orgulho e diz que busca ao filho foi ‘última missão’

Pai de Leonardo Assunção atua no Exército há 34 anos e agora pretende se aposentar. Corpo do PM foi encontrado em São José dos Campos nesta quinta-feira (11) após três dias de buscas.

O pai do policial militar morto após cair no rio Paraíba durante uma perseguição, falou do orgulho do filho e disse que a busca pelo filho foi sua ‘última missão’ no Exército. O corpo de Leonardo Assunção foi encontrado no começo da tarde desta quinta-feira (11) em São José dos Campos (SP), após três dias de buscas. O suspeito que era perseguido e que também caiu no rio ainda não foi encontrado. (ouça o áudio acima)

A declaração emocionada do pai, que tem o mesmo nome do filho, foi enviada aos colegas de profissão, por meio de um áudio, para noticiar o encerramento das buscas pelo corpo. “Encontrei meu filho. Infelizmente o rio Paraíba venceu a briga, mas tiramos ele d’água, dei um abraço nele. Minha esposa pediu e eu abracei meu filho”, contou o militar, que participou das buscas e agradeceu o apoio das equipes envolvidas – cerca de 90 agentes participaram dos trabalhos.

“São poucos pais que têm a honra de ver o filho sendo homenageado na presença de mais de 100 militares de todas forças. Muitos pais perdem o filho nas drogas e Deus me deu a honra de ver meu filho no cumprimento do dever. Um verdadeiro soldado”, contou.

Ele disse também que trabalha no Exército há 34 anos e que acredita não ter se aposentado antes porque precisava cumprir sua última missão.

“Participo da resgate desde a época de soldado, mais de 20, talvez, e Deus quis que minha última missão fosse resgatar meu filho e assim fiz, estou levando ele para casa. Queria um motivo para ir para reserva, talvez esse seja o motivo. Acho que cumpri minha última missão”, completou na mensagem de voz.

O velório do soldado Leonardo Assunção vai ser na Associação Igreja Metodista, na rua José Machado C. Castro, 138, no Centro de Lorena. O enterro vai ser no Parque Memorial de Lorena na Estrada Lorena-Itajubá (BR-359), 231, no Santa Rita, em Lorena, às 10h desta sexta (12).
Redes sociais
O policial militar Leonardo Assunção exaltava o trabalho da corporação nas redes sociais. Em uma das postagens, de outubro de 2017, o PM, que fazia parte do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep), postou uma foto fardado em frente a um carro da corporação. Na legenda, ele escreveu: “És a nobre infantaria, das armas a rainha, por ti daria a vida minha”. Em outro momento, ele publicou um vídeo de um treino de tiros. Leonardo entrou na polícia em 2013.

Os colegas relembram que ele sempre foi comprometido com o trabalho e amava o que fazia. “Ele sempre se mostrou um policial comprometido e responsável. Idealista e sonhador”, afirmou o major da PM, Relder Sandro de Souza Fialho.

“Ele gostava muito do que fazia, o pai dele era capitão do Exército, o irmão também do Exército, mas ele sempre quis polícia. Era o que ele amava. Durante as buscas, o pai dele até nos falou que tem muito orgulho do filho, que pulou no rio ostentando a farda”, contou o capitão Alex Olliari.
Buscas
O corpo foi localizado boiando próximo ao local onde o PM havia sido visto pela última vez, na Vila Cristina, na zona norte da cidade. De acordo com a polícia, a área em que ele foi encontrado tem muitas pedras, o que deve ter dificultado a locomoção do policial quando ele afundou.

As buscas pelo corpo de Leonardo, que era de Lorena (SP), levaram três dias e envolveram cerca de 90 pessoas entre o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e o Exército. Um helicóptero da Polícia Militar também apoiou as buscas sobrevoando o trecho. Mergulhadores também reforçaram as buscas nesta quinta.

Além disso, nesta quinta-feira a vazão das represas de Santa Branca e de Paraibuna foram reduzidas, o que auxiliou nos trabalhos de buscas já que o nível do rio estava alto e com corredeiras. A busca se concentrou em um trecho de 20 quilômetros entre a Vila Machado, em São José, até Caçapava.
Queda no rio
O policial desapareceu durante uma operação no bairro Vila Cristina quando ele e o companheiro perseguiam um homem suspeito de tráfico de drogas. A pé, o suspeito se jogou na água para tentar fugir.

Os policiais tentaram parar o homem, mas caíram na água. A correnteza arrastou o trio. Eles tentaram segurar em uma canoa que estava no local, mas a embarcação quebrou.
Um dos policiais foi retirado da água pelos outros colegas que estavam na operação, mas o soldado e o suspeito desapareceram. Desde então eram feitas buscas pelos dois homens.

Fonte: G1

Comente esta matéria

Comente esta matéria