PM que presenteou garoto com farda é preso com pistola, fuzil de uso exclusivo do Exército e espingarda em Curitiba

Armamento estava dentro de um veículo; um homem de 35 anos e uma jovem de 18 também foram detidos. PM abriu procedimento interno para apurar o caso.

Um policial militar, um homem de 35 anos e uma jovem de 18 foram presos por policiais do Batalhão das Rondas Ostensivas de Natureza Especial (Rone) com uma pistola, um colete balístico, um fuzil e uma espingarda em uma rua no bairro Cajuru, em Curitiba.

Um adolescente de 17 anos também estava junto no momento da abordagem e foi apreendido, na madrugada desta sexta-feira (26).

O fuzil encontrado com o grupo é de uso exclusivo do Exército, e a espingarda é de grosso calibre. O armamento estava dentro de um carro, que foi apreendido pelos policiais. Segundo a Polícia Militar (PM), o policial tinha autorização para o uso da pistola e da espingarda, mas não do fuzil.

PM presenteou garoto que sonha em ser policial com farda
Em novembro do ano passado, o PM, com a ajuda de um soldado, realizaram o sonho de um garoto de 12 anos que diz ter o sonho de ser policial.

Segundo a PM, eles presentearam a criança com uma farda do tamanho dele, uma cesta básica, brinquedos, uma placa de mesa com o nome dele, e uma quantia em dinheiro.

O que diz a PM
Em nota, a (PM) informou que o policial atuava na função desde 2012 e foi afastado das funções. Ele está detido em uma unidade da corporação e ficará à disposição da Justiça. Um procedimento interno também será aberto para apurar o caso, ainda de acordo com a nota divulgada pela PM.

O homem de 35 e a jovem de 18 anos foram encaminhados para a Central de Flagrantes, e o menor à Delegacia do Adolescente.

A PM relatou ainda que não compactua com desvios de conduta de seus integrantes e ressalta que a corporação, para qualquer situação envolvendo policiais, busca a elucidação de todos os fatos. “E, se restar comprovada responsabilidade, os instrumentos adequados de saneamento são adotados, na forma legal, sendo respeitados os direitos ao devido processo legal, à ampla defesa e ao contraditório, para qualquer militar estadual”.

Fonte: G1

Comente esta matéria

Comente esta matéria