Polícia faz barreiras para capturar foragidos de assalto a bancos no RS

Mais de 100 policiais cercam pontos do Norte do estado nesta terça (7).
Duas agências foram atacadas na segunda (6) e quadrilha fez reféns.
Policiais fazem barreiras nesta terça-feira (7) em pontos estratégicos no Norte do Rio Grande do Sul, depois dos assaltos a dois bancos da região no fim da manhã de segunda-feira (6). Primeiro uma agência de Constantina foi atacada, e depois outra em Sarandi. A quadrilha agiu armada e fez reféns. Após negociação com a polícia, todos os moradores foram liberados e dois assaltantes, presos. Pelo menos mais dois, foragidos, são procurados.
Parte do dinheiro roubado foi recuperada pela polícia, cerca de R$ 700 mil, e fuzis e pistolas de uso exclusivo do Exército foram apreendidos. De acordo com a Brigada Militar, todos os integrantes da quadrilha foram identificados.
A ação dos criminosos no município começou por volta das 11h30. A quadrilha, suspeita de assaltar uma agência do Banrisul em Constantina horas antes, chegou às imediações do Banco do Brasil, em Sarandi, já atirando, disseram testemunhas. Dois policiais militares que estavam no local foram feitos reféns pelo grupo.
Segundo informações repassadas pela Brigada Militar e Polícia Civil, após pegar o dinheiro no banco, a quadrilha fugiu em um Nissan Tiida, levando os PMS como reféns. Durante a fuga, eles foram interceptados por uma guarnição do Batalhão de Operações Especiais (BOE) de Passo Fundo, que se deslocava para atender a ocorrência em Constantina. Houve perseguição e troca de tiros.
O carro usado pela quadrilha bateu em outro no bairro Santa Catarina, a pouco mais de 300 metros da agência bancária. Um policial ficou ferido no acidente, mas foi encaminhado ao Hospital Comunitário e não corre risco, segundo o delegado Edson Cezimbra. Pelo menos dois suspeitos fugiram a pé do local do acidente e se esconderam em matagal próximo, diz a polícia.
Outros dois homens abordaram um carro que passaram pelo local e continuaram a fuga. Eles trocaram de veículo em um posto de gasolina e se refugiaram na empresa Samaq, onde fizeram o proprietário e dois filhos dele reféns. Cercados pela Brigada Militar e Polícia Civil, os dois criminosos exigiram a presença da imprensa e de representantes do Ministério Público, antes de se entregarem por volta das 13h.
Policiamento reforçado em pequenos municípios
Nos últimos seis dias, pelo menos seis agências bancárias foram assaltadas ou arrombadas no Rio Grande do Sul. A maioria fica em pequenos municípios. Em alguns casos, a ousadia dos assaltantes impressiona, com os próprios policiais como reféns, além de moradores. Em entrevista ao Bom Dia Rio Grande, da RBS TV (veja o vídeo ao lado), o comandante-geral da Brigada Militar, Fábio Duarte Fernandes, diz que o policiamento vem sendo reforçado.
“Nós estamos reforçando os efetivos. Temos cidades com menos de dois soldados. Em parceria com a Polícia Civil, uma em uma integração muito forte nesses municípios, estamos aportando recursos humanos,  de modo que tenha pelo menos cinco policiais que deem conta da estrutura. São mais de 900 viaturas adquiridas nesses últimos dois anos”, salientou.
Do G1 RS

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário