Polícia investiga participação de PMs em crimes na Grande SP

SÃO PAULO, SP, 19 de abril (Folhapress) – A força-tarefa de 12 delegados da Polícia Civil, criada para investigar os homicídios na Grande São Paulo, suspeita que policiais militares estejam envolvidos nos crimes. Uma das linhas de investigação é que esses policiais participem de um grupo de extermínio. 

Oficialmente, a Secretaria da Segurança Pública informou que essa não é a única suspeita. Segundo a pasta, ao que tudo indica, os ataques que deixaram quatro mortos e sete feridos nas cidades de Osasco e Carapicuíba tem ligação entre si. Entretanto, detalhes sobre os suspeitos foram divulgados para não sejam prejudicadas. 
Conforme quatro delegados ouvidos pela reportagem, as outras hipóteses para os crimes são briga entre traficantes, que querem desestabilizar a área de seus adversários, entre as vítimas e os atiradores. Essa última é a menos provável, segundo esses policiais. 
Ao menos um suspeito foi identificado. Os delegados esperam prendê-lo até o início da próxima semana. Nenhuma das 11 pessoas baleadas nos ataques tinham antecedentes criminais. 
Incêndios 
Segundo o depoimento do cobrador e do motorista do ônibus incendiado em Carapicuíba, três homens encapuzados entraram no veículo e pediram para que os cerca de 50 passageiros descessem do coletivo. Eles faziam gestos como se estivessem armados. 
Quando os bandidos perceberem que todos já haviam descido, jogaram gasolina, atearam fogo e fugiram. 
A suspeita da polícia é que os crimes foram motivados pelas mortes que ocorreram na região. 
Crimes 
Na noite de anteontem, quatro pessoas foram baleadas em um ataque em Osasco. Diego Denílson Câmara de Lira, 18, não resistiu aos ferimentos e morreu. Segundo a PM, as vítimas disseram que estavam em um bar quando foram abordadas por dois suspeitos num Vectra prata, que dispararam contra eles e fugiram. 
Ainda de acordo com a polícia, Diego era procurado por tráfico de drogas. A ocorrência foi registrada às 23h15. 
A cerca de 10 km, após um intervalo de cerca de dez minutos, outro crime foi registrado em Carapicuíba, também na Grande São Paulo. Sete pessoas foram atingidas por tiros que teriam partido também de um carro prata, de acordo com o depoimento de testemunhas. 
Cinco delas estavam em frente a um bar. Uma pessoa morreu no local e outra a caminho do hospital. Outras três ficaram feridas e foram levadas a prontos-socorros da região. Nos dois casos, pelo menos quatro pessoas morreram e sete ficaram feridas. 
A um quilômetro dali, outras duas pessoas foram baleadas, uma delas morreu. A Polícia Civil investiga a relação entre os ataques.  
Diário de Guarapuava

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário