Preso suspeito de matar policial civil a golpes de facão no Tocantins

Ele estava escondido em uma casa na zona rural de Dois Irmãos.
Polícia diz que o suspeito tem um ‘distúrbio psicológico’.

Adoan da Silva Santos, de 36 anos, é suspeito de assassinar policial civil a golpes de facão (Foto: Divulgação/PM-TO)Adoan da Silva Santos, de 36 anos, é suspeito de
assassinar policial civil a golpes de facão
(Foto: Divulgação/PM-TO)
Adoan da Silva Santos, de 36 anos, suspeito de assassinar a golpes de facão o escrivão da Polícia Civil do Tocantins, José do Bonfim Nazareno Ribeiro, de 54 anos, foi preso na noite deste sábado (9), na zona rural de Dois Irmãos do Tocantins. Segundo a Polícia Militar, Santos estava escondido em uma casa localizada a 20 km da cidade. No local, conforme as informações da PM, foi encontrada a arma do crime, que ainda estava com munição e carregada.
De acordo com a corporação, o policial civil saiu sozinho para atender uma ocorrência em uma fazenda que fica a 22 km de Dois Irmãos. Após tentar resolver um conflito envolvendo os moradores da propriedade, o policial foi morto com três golpes de facão e um tiro de arma de fogo.
A PM explicou que os moradores da zona rural, onde o fato aconteceu, acionaram a polícia porque um homem havia atirado em uma vaca do vizinho. Ao chegar no local, Ribeiro tentou apaziguar a situação e desarmar o suspeito, que estava com uma espingarda, foi quando aconteceu o crime, segundo a polícia.
Uma testemunha que viu a agressão correu para avisar os vizinhos e chamar a polícia. De acordo com a PM, o crime aconteceu por volta de 13h e somente às 16h ela conseguiu falar com os moradores, que acionaram os militares. Ao chegar na fazenda, a polícia encontrou Ribeiro morto. Dois golpes de facão atingiram a cabeça da vítima e o outro, a região lombar. O disparo de arma de fogo atingiu as costas do policial.
A polícia disse que o suspeito tem um “distúrbio psicológico”. Após o crime, ele entrou no matagal e só foi localizado na noite deste sábado. O corpo da vítima foi encaminhado para o Instituto de Médico Legal (IML) de Paraíso do Tocantins e já foi liberado para a família.
Do G1 TO

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário