Presos perigosos que estavam em presídios federais retornam ao ES

Sete presos que retornaram ao estado tem ficha criminal extensa.
O último a chegar foi Tião Quirino, nesta quarta (27), preso por tráfico.

Sete presos considerados de alta periculosidade, que estavam detidos em presídios federais, retornaram para as unidades prisionais do Espírito Santo nos últimos dias. Sebastião Alves Quirino, o Tião Quirino, foi o último a chegar, nesta quarta-feira (27). Ele estava em Porto Velho, Rondônia e foi preso acusado de tráfico de drogas. Ele está no Presídio de Segurança Máxima de Viana.
Na última sexta feira (22), Fernandes de Oliveira Reis, o Fernando Cabeção, acusado de intermediar a morte do juiz Alexandre Martins, em 2003, também retornou ao estado.
Lista
Os sete presos que retornaram ao estado têm uma ficha criminal extensa e muitos ficaram “famosos” pelos crimes que cometeram:

– Sebastião Alves Quirino, o Tião Quirino
Tião Quirino foi preso por chefiar uma quadrilha de homicidas que agia em Vila Velha. Ele também foi acusado de diversos roubos em Domingos Martins, na região Serrana do Estado.
– Fernandes de Oliveira Reis, o Fernando Cabeção
É acusado de comandar o Primeiro Comando de Guaranhuns (PCG), organização criminosa especializada em tráfico de drogas e assassinatos por encomenda em Vila Velha. Foi condenado pela Justiça como intermediário da morte do juiz Alexandre Martins e por ordenar queimas de ônibus
– Wether Alves Climaco, o John Wayne
É o braço direito de Toninho Pavão, considerado um dos maiores traficantes do Estado. Foi preso pela última vez por ter matado um casal a mando do traficante
– Cléber Nunes de Oliveira, o Doutorzinho
Já foi condenado por vários assaltos a bancos, tanto no Espírito Santo como em outros Estados. É considerado uma das lideranças do crime dentro do sistema penitenciário
– Hebert Luiz Borges Fraga, o Hebinho
Acusado de tráfico de drogas na Grande São Pedro, em Vitória, e teria enviado ordens para incêndios a ônibus em 2006. Também teria ligações com Jonh Wayne
– Erasmo Sérgio Alves, o Careca
Acusado de assaltos a bancos e tráfico de drogas. É suspeito de ser um elemento de ligação entre bandidos capixabas e o Comando Vermelho e de ordenar a queima de ônibus na Grande Vitória
– Gilmar Luiz Binda
Assaltante de bancos e acusado de sequestro
Volta pra casa
Parte de um grupo de 21 detentos de alta periculosidade que cumprem pena fora do Espírito Santo tiveram o retorno ao estado autorizado pela Justiça em novembro do ano passado. Na época, isso desencadeou reação negativa do governo.
O promotor Sérgio Alves, então secretário de Estado da Justiça, declarou que esses presos são peças fundamentais para o chamado “batismo”, a iniciação de presidiários em facções. “É o tudo o que o Estado não quer”, disse, na época, o então secretário.
Do G1 ES

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário