Privatização da segurança

O problema da falta de segurança no Brasil é histórico. Investiu-se pouco em segurança pública ao longo do tempo. Tanto que o efetivo da Brigada Militar no Estado é de 21.813 PMs, semelhante ao existente no início dos anos 1980. Quem cuida da segurança no Brasil são agentes privados, segundo relatório da OEA sobre a Segurança Cidadã nas Américas em 2012, divulgado neste mês sobre os 34 países da região com base nos últimos 10 anos. Nele, o ranking de privatização do policiamento é liderado pela Guatemala, com 6,7 seguranças para cada policial, seguido do Brasil com 4,9 e Chile com três. Os EUA, conhecidos por empresas gigantescas no setor, têm 1,5 para cada policial. E a média regional é de 2,3. 
Urbanização crescente        
Até 2030, quase 60% da população mundial viverá em áreas urbanas, que precisam ser mais sustentáveis. No Brasil, serão 80%, aumentando mais ainda os atuais problemas das metrópoles. Quem anda preocupada com isso é a Abes, que promoverá amanhã de manhã debate sobre o tema no auditório da Decision-FVG em Porto Alegre. (Jornal do Comércio).

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário