Quem acredita, e faz por onde, sempre alcança

Companheiros da PMAL, deixando de lado todas as humilhações dos últimos dias, tais como morte de um subtenente, sermos chamados de obesos, falta de combustível nas viaturas e etc. Vamos falar de algo que interessa a todos os policiais militares alagoanos, que é o motor principal de motivação de todo o trabalhador: O SALÁRIO.
Todos sabem que durante o mês de maio várias manifestações foram realizadas logos após o anúncio do imoral aumento de 5,91%. Falava-se em desaquartelamento, falava-se em aquartelamento, em ir às ruas para pressionar o governo, blá, blá, blá. Mesmo depois de tudo, o máximo que alcançamos foi um aumento ainda mais desmoralizante de 7%, sem contar as inúmeras punições e processos abertos contra os militares que participaram das manifestações, e diversos assédios morais praticados pelo comando geral e SEDS.
E quem realmente foi o culpado por essa barca furada de reivindicações? Nossos representantes, claro! Em nenhum momento procuraram seguir os exemplos que deram certo em outras unidades da federação, achando que Alagoas é um Estado à parte do Brasil, onde deve-se seguir outra estratagema. Resultado? Nenhum! Só aconteceram perseguições e prisões disciplinares para os guerreiros que participaram efetivamente.
Enquanto isso, tomamos conhecimento de que irmãos policiais de outros Estados vêm conseguindo ganhos enormes, tudo isso graças ao Movimento Polícia Legal (MPL). Primeiro foram os irmãos de Sergipe, onde – hoje – um soldado recruta recebe mais de R$ 3 mil, e agora, para surpresa de todos que estavam acompanhando a movimentação dos guerreiros do Piauí, eis que o governo pediu arrego e negociou com os policiais, elevando de maneira escalonada o salário do soldado da PMPI para R$ 1.810 em fevereiro de 2012, indo até a R$ 3.120 em 2015, sem contar as outras vantagens, tais como ticket refeição, arquivamento de todos os processos administrativos, plano de carreira e entre outras coisas. Todos esses ganhos motivados pelo MPL, que dobrou o governo e fez com que ele saísse do pedestal para negociar com a base.
Irmãos alagoanos, estamos ficando para trás e isso também é culpa nossa, pois estamos aceitando todos os absurdos cometidos pelo governo, SEDS, comando da PM e associações. Passaremos mais um ano vendo nosso salário ficar defasado, pois não se enganem, os 7% que nos foram dados como esmola, não valerão de nada ao fim do ano (hoje já não vale!).
Precisamos nos organizar politicamente, termos representantes sérios e comprometidos com a nossa causa, que busquem a melhoria para toda a corporação. Historicamente nunca tivemos líderes e nem comandantes que observassem essas necessidades, e por isto hoje padecemos sem investimentos sérios, vendo companheiros serem mortos pela bandidagem. Alguém acha que algum deputado estadual sai em defesa de nossa classe? Temos alguém que nos represente na Assembleia Legislativa estadual? Alguém que se levante e fale a verdade sobre as nossas deficiências e exija que sejam corrigidas? Pensem e reflitam, pois precisamos urgentemente de representatividade para lutar por nossos direitos.
Para ilustrar bem isso, os sites da ACS, ASSMAL e ASSMAL, que foram criados há vários anos, quantas vezes estes sites denunciaram os absurdos e irregularidades em nossas unidades no que se refere à estrutura física (rancho, alojamentos e viaturas)? A resposta fica com vocês leitores.

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário