SSP diz que ao menos uma das mãos é de Geovane; suspeitos são presos

Jovem de 22 anos sumiu depois de abordagem violenta feita por policiais.
Suspeitos são considerados experientes; corpo teria sido esquartejado.

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP) garante que pelo menos uma das mãos achadas em Campinas de Pirajá, em Salvador, é do jovem Geovane Mascarenhas de Santana, de 22 anos, que estava desaparecido após abordagem violenta de policiais militares, que foi registrada via câmera de segurança. De acordo com a polícia, o polegar esquerdo de uma das mãos estava com as digitais preservadas, e por isso foi possível identificá-lo através de exames. Pela manhã, a família dele contestou a informação de que o corpo dele estaria no Instituto Médico Legal, não reconhecendo o tronco e a cabeça.
O secretário Maurício Barbosa, o delegado-chefe da Polícia Civil, Hélio Jorge, e o comandante geral da Polícia Civil, Alfredo Castro, deram entrevista coletiva sobre o assunto na tarde desta sexta-feira (15). O caso está sendo investigado pela Polícia Civil, com apoio do Ministério Público, e pela Corregedoria da PM.
Segundo com a polícia, no dia 3 de agosto foi encontrado um tronco no Parque São Bartolomeu, com a derme e epiderme completamente destruídas por carbonização e, por isso, não foi possível fazer o reconhecimento. “Por causa do estado em que o corpo se encontra, não é possível identificar marcas e tatuagens, então talvez por isso a família não tenha feito o reconhecimento”, explica Maurício Barbosa, secretário de Segurança Pública da Bahia. No dia seguinte, as mãos e uma cabeça foram encontrados em Campinas de Pirajá.  A SSP informa que a confirmação de que outras partes do corpo, que foi esquartejado, são de Geovane, só vai ser possível através exame de DNA, cujo resultado sai em 30 dias.
Além das partes do corpo, serão periciados ainda o GPS e a câmera interna da viatura para verificar se os equipamentos estavam funcionando normalmente e a partir daí analisar o percurso e as imagens que possam ter sido capturadas. Também vai ser analisado se os PMs alteraram o percurso, pois o registro do GPS indica que eles estiveram, na madrugada do dia 3, no bairro do Lobato, distante do local da ocorrência. Maurício Barbosa ressalta que, se os equipamentos estiverem quebrados ou alterados, pode ser mais um indício da participação dos militares. A moto da vítima ainda não foi encontrada.
“Temos fortes indícios da participação deles neste crime, mas tudo precisa ser investigado com cautela. São agentes que deviam estar em defesa da segurança da população e não oferecendo risco. Se for confirmado que esses policiais estão envolvidos nesse crime, é mais um inconformismo para a SSP e eles serão severamente punidos, inclusive sendo expulsos da corporação”, disse o secretário Maurício Barbosa, durante coletiva convocada para a tarde desta sexta-feira (15), na sede do órgão, no Centro Administrativo da Bahia.
Os três policiais, que são Cláudio Bonfim Borges, Jailson Gomes de Oliveira e Jesimiel da Silva Resende, tiveram prisão  temporária decretada. Um deles é subtenente, com mais de 20 anos de atuação, e era comandante da guarnição. Os demais têm 11 e 14 anos de polícia. “São policiais experientes, mas que tiveram uma postura condenável na abordagem ao cidadão, mesmo por que ele não ofereceu nenhuma resistência. Essa não é a orientação que damos à polícia”, garante Maurício.
Os suspeitos prestaram depoimento, ao longo do dia, na sede do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) e, em seguida, levados para o Batalhão de Choque, em Lauro de Freitas, região metropolitana de Salvador. A justiça decretou a prisão temporária dos três, por 30 dias, para evitar intimidação a testemunhas, familiares da vítima, e que se percam provas do crime, segundo o delegado-chefe Hélio Jorge.  O advogado Vivaldo Amaral defendeu que os três policiais são inocentes, declarando que ando “todos vão se surpreender”.
Segundo o coronel Alfredo Castro, os PMs afirmam que o rapaz foi abordado por ter características semelhantes às de um assaltante que teria roubado uma mulher na região da Calçada. Eles sustentam que levaram Geovane até a mulher, mas ela não o reconheceu como o ladrão e depois disso ele foi liberado. “Eles já foram ouvidos várias vezes na Corregedoria e duas na Polícia Civil, e sustentam a mesma versão”, destaca o coronel. A PM deve concluir a investigação em 30 dias. A mulher que foi assaltada já prestou depoimento na Corregedoria, conforme ele.
desaparecido;bahia (Foto: Reprodução/TV Bahia)Abordagem da PM (Foto: Reprodução/TV Bahia)
Família não reconhece
Jurandy Silva, pai da vítima, foi ao Instituto Médico Legal (IML) no final da manhã desta sexta-feira (15) para reconhecimento do corpo do filho que, segundo a polícia, teria sido identificado na noite de quinta-feira (14). De acordo com ele, o filho dele tinha uma tatuagem, que não foi identificada. “Para mim, eu quero ver ele, o pé, a mão. Tendo o corpo eu vou enterrar ele e viver minha vida, não tendo, vou continuar procurando. Não tem tatuagem, o rosto do meu filho é pequeno e o que me mostraram é grande. Agora, no momento, não tem nada. Todos que estão aí (IML) não são do meu filho”, disse. 
Corpo identificado, diz PM
Segundo o coronel Alfredo Castro, comandante da PM, o corpo dele foi identificado na noite de quinta-feira (14). A informação foi confirmada pelo coronel Alfredo Castro com base na perícia realizada pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT). “A perícia constatou que o corpo era do jovem desaparecido. A mão e a cabeça estavam na mesma região onde foi localizado o corpo”, afirma o coronel Alfredo Castro.
Geovanne Mascarenhas desapareceu após abordagem da PM (Foto: Imagens/TV Bahia)Geovanne Mascarenhas desapareceu após
abordagem da PM (Foto: Imagens/TV Bahia)
Caso
Geovane Mascarenhas de Santana desapareceu após uma abordagem policial no dia 2 de agosto, na Calçada. Toda a ação foi registrada por câmeras de segurança de um prédio do local da ação.
 A família fez buscas por mais de 10 unidades de polícia e denunciou o caso à imprensa. Em uma primeira versão, a assessoria de comunicação da PM informou que Gevane foi levado à delegacia do bairro da Lapinha e liberado em seguida, com a moto, que até o momento não foi encontrada.
Do G1 BA

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário