Um dia a mordaça será usada contra o opressor

Enquanto as coisas não mudam, o Comando da PM continua descendo aos porões da ditadura na qualidade de opressor. As associações aceitam. São mansas expectadoras desse dantesco espetáculo.
Chega a ser ridícula a vista grossa feita para com a Constituição Brasileira dentro do quartel comandado pelo subordinado do governador constituinte.
O BGO Nº 167 DE 02 DE SETEMBRO DE 2011 (esse boletim veio que veio) o comandante geral manda a tenente REGINA (Portaria nº 253- Sind-CG/Correg) apurar “suposta transgressão disciplinar atribuída ao SD EDUARDO ÍTALO BASTOS DE OLIVEIRA, do 6º Batalhão de Maragogi. A portaria acusa o dito soldado de “discutir ou provocar discussões, por qualquer veículo de comunicação, sobre assuntos políticos, militares, ou policiais-militares, excetuando-se os de natureza exclusivamente técnica, quando devidamente autorizados; XLVII – publicar ou contribuir para que sejam publicados fatos, documentos ou assuntos policiais-militares que possam concorrer para o desprestígio da Corporação ou firam a disciplina ou a segurança”.
Classificação: PATÉTICO!
Tempestade em copo d’água, como costuma ser feito por esse comando. Tememos que essa neurose comprometa as faculdades mentais do “el grande” comandante.
Mas, como sempre, vai aqui breve análise crítica da situação:
O coronel Comandante Geral, provocou, há não muitos dias, uma discussão que “maculou” a imagem do governo e da PM quando tentou responsabilizar os municípios pela situação da segurança. Levou uma “subida de barba” da Assembleia, mas não respondeu, conforme o RDPMAL, pela falta disciplinar.
“Discutir ou provocar discussões, por qualquer veículo de comunicação, sobre assuntos políticos, militares, ou policiais-militares…” (???)
Até por celular? Telefone fixo? Internet?
Porque incluíram “assuntos políticos”? Você que é bacharel em História deve saber que Aristóteles, há dois milênios, considerava o homem um “animal político”.
No mais, o artigo 5º da Constituição merece ser lido.
Ah, antes que eu esqueça, A Portaria Interministerial n. 01/11 do Ministério da Justiça e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República tem força normativa porque trata de direitos fundamentais dos policiais militares.
Finalizando, seja lá o que disse o soldado, foi menos grave para a imagem da corporação do que as notícias tristes que a imprensa tem publicado todos os dias sobre a situação da segurança pública.
Enquanto o comandante se preocupa com o que dizem os militares sobre o quartel, e usa os códigos do extralegal RDPMAL como se aquilo lá fosse “as sagradas escrituras” (Deus me perdoe a heresia comparativa), OS POLICIAIS SE SOCORREM DE MOTO EMPRESTADA DE CIVIS PARA PRENDER BANDIDOS NO INTERIOR DO ESTADO.

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário