Vídeo de abordagem policial em ‘cracolândia’ ultrapassa 300 mil visualizações em cinco dias

Com mensagem religiosa, PMs conversaram com dependentes químicos, em Presidente Prudente, e compartilharam a ação em rede social. Publicação repercutiu e comoveu a internet.

Oração e incentivo para que dependentes químicos mudem de vida feitos por policiais militares após abordagem na linha férrea inativa, em Presidente Prudente, comoveram a internet e em menos de uma semana o vídeo (veja abaixo) publicado em uma rede social pelo subtenente Paulo Sérgio das Neves Rodrigues já ultrapassou a marca de 300 mil visualizações. Além disso, a postagem recebeu até a tarde desta terça-feira (31) mais de oito mil reações e 3,6 mil compartilhamentos. O G1 conversou com o PM nesta segunda-feira (30) e ele contou como foi gratificante transmitir um pouco da religião cristã àquelas pessoas concentradas numa área da cidade que é uma espécie de “cracolândia”.
O contato dos policiais com o grupo de usuários de drogas ocorreu na manhã de sexta-feira (27). No mesmo dia, às 15h44, imagens foram publicadas na página pessoal do subtenente. O militar contou ao G1 que o local é alvo de abordagens constantemente, mas que aquele dia “foi diferente”. “A gente sempre vê praticamente as mesmas pessoas ali. Aí comecei a falar um pouco para eles como pessoas, eles falavam que é muito difícil, que não queriam estar ali e a gente entende que não queriam”, contou. “Falei para eles que Jesus poderia tirá-los dali, como outros já saíram, e comecei a falar de Jesus para eles”, relatou.
“Neste dia, de fato, alguns deles se comoveram, se entregaram às lágrimas”, afirmou ao G1 o subtenente da PM. “Creio que o Espírito Santo tocou no coração, porque, quando Deus toca, o homem sente. Eu sei que é muito difícil para eles, eu expliquei isso para eles. Disse que nós, policiais militares, não temos prazer em abordá-los ali, a gente queria encontrar com eles em outras situações, outros lugares”, ressaltou.
O vídeo acabou repercutindo e o subtenente relatou que várias pessoas, inclusive “ex-viciados em drogas”, conversaram com ele. “Uma das pessoas já esteve ali na linha e abordei um monte de vezes, agradeceu que hoje está com a vida melhor”, comentou. “É algo bastante importante e acho que tocou bastante. Lógico que todos não, mas boa parte ali sentiu bastante”, disse ao G1.
“Neste dia, de fato, alguns deles se comoveram, se entregaram às lágrimas”, afirmou ao G1 o subtenente da PM. “Creio que o Espírito Santo tocou no coração, porque, quando Deus toca, o homem sente. Eu sei que é muito difícil para eles, eu expliquei isso para eles. Disse que nós, policiais militares, não temos prazer em abordá-los ali, a gente queria encontrar com eles em outras situações, outros lugares”, ressaltou.
Ainda sobre a repercussão, o subtenente comentou que achou “surpreendente a forma como aconteceu”. Além de eu não esperar, acho que repercutiu a imagem boa da Polícia Militar e também essa situação deles ali na linha férrea”, explicou.
“Foi uma coisa coletiva muito bacana, bastante agradável, todo mundo foi adepto. Foi bastante gratificante. E a receptividade dos usuários também, porque muitos olham o policial e só pensam na repressão e nós não somos só isso. Inclusive o lema da Polícia Militar é servir e proteger”, enfatizou ao G1 o subtenente Neves.
Fonte: G1

Comente esta matéria

Comente esta matéria

Deixe seu comentário